• Bandagem Funcional

    Bandagem Funcional

    As bandagens funcionais são muito úteis na prática  fisioterapêutica, como uma forte aliada no tratamento de dores musculares e articulares.

    As fitas elásticas estimulam as terminações nervosas da  pele. O estímulo atinge o cérebro, que envia uma resposta de volta para melhorar o problema em questão.

    Ela age nos receptores sensoriais do sistema segmentar (pele). De acordo com cada músculo, é possível ter efeito de aceleração ou desaleração do movimento, ou seja, sustentar ou relaxar uma área do corpo, além de aliviar a dor, por intermédio das ondulações que a bandagem promove.

    Desenvolvido na década de 70, no Japão, pelo médico quiropata Kenzo Kase, o método visa a aliviar a dor, reduzir edemas, pelo fato de melhorar a circulação linfática, e gerar maior estabilidade de articulação e melhorar a contração muscular. Com a bandagem, também é possível trabalhar a estabilização das estruturas articulares, normalizando o seu movimento e reposicionando as estruturas que se encontram encurtadas.

    Podendo ser utilizadas em lesões causadas por sobrecarga (overuse), como as tendinopatias, fraturas por estresse, síndrome femuropatelar, lombalgias, cervicalgias com o objetivo de ajudar na biomecânica da articulação, re-educar ou melhorar a ação proprioceptiva; em lesões ligamentares agudas, como os entorses de tornozelo, com o intuito de reduzir o edema, proteger as estruturas traumatizadas, manter a congruência articular e permitir o movimento funcional da melhor forma possível; ou lesões em estágio crônico, para uma reeducação articular e proprioceptiva.

    Para a utilização da técnica de bandagens é preciso que o profissional desenvolva habilidades específicas e entenda os princípios que orientam sua aplicação. Por isso é importante que esse profissional tenha um bom conhecimento de anatomia e biomecânica de cada articulação a ser tratada. É preciso entender a conexão da anatomia, mecanismo de lesão, aplicação da bandagem e seu propósito, ou seja, se a bandagem tem como finalidade imobilizar uma articulação, restringir um movimento, ajudar na estabilidade articular, comprimir uma região com presença de edema ou aumentar o estímulo proprioceptivo da articulação. Uma vez o profissional sabendo qual será sua finalidade com a bandagem, ele saberá qual técnica utilizar.

    O método não consiste em simplesmente “aplicar” as bandagens. Para aplicar, é necessário fazer um trabalho em conjunto (terapeuta-paciente) a fim de iniciar corretamente o tratamento mais adequado. “De acordo com o resultado desejado, muda-se a posição, a direção, a tensão e o corte da bandagem. Menos 50% de tensão, por exemplo, serve para estimular a musculatura, enquanto mais 50% de tensão funciona para corrigir um estiramento.

Deixe seu comentário

Cancelar

Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0